João da Silveira

21/02/2016

Dilma (Michel) na Terceira Semana de Fevereiro

Recomeça o ano legislativo, depois do carnaval. Os parlamentares retornam a Brasília e encontram o governo federal tecnicamente quebrado (Empiricus), com previsão de que o calote, nova moratória, é inevitável (Piaui). Segundo O Antagonista, a Folha encurtou de 30 para 10 anos o prazo para o colapso do sistema previdenciário brasileiro. Os que vivem de pensão estarão fodidos.  O Globo informa que os fundos de pensão Postalis, Petros, Funcef e Previ acumulam rombo que ultrapassa 46 bilhões de reais em 2015. Os pensionistas desses fundos estão fodidos!

Esta é semana do rebaixamento do Brasil e de empresas brasileiras pela S&P. “Depois de rebaixar o Brasil para um patamar inferior ao da Guatemala, a S&P rebaixa também Petrobras, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Eletrobras, BNDES, Bradesco e Itaú.” (O Antagonista). Bradesco e Itaú? Mas esses bancos não declararam lucros fantásticos no ano passado? Aguardem: a quebra do governo Dilma poderá derrubar também esses bancos, pois estão lastreados em títulos públicos, títulos do governo dela. E a Mendes Junior, e a Andrade Gutierrez, e a OAS, e a UTC, e a Odebrecht?

E os parlamentares, estarão preocupados com a falência empresarial e do governo? Alguns, sim, poucos. Dá pra contar nos dedos. A maioria não. A maioria deles cuida-se de si mesma. . . Mas a estrela do momento é Lula, o demônio guia em cadência para o caos, atazanado ele próprio por procuradores, pela Polícia Federal, por drones da imprensa a sobrevoar o sítio que não é dele, a fotografar seus barquinhos em forma de cisne branco, presentes de D. Marisa Letícia. Ele já não aguenta mais tanta zoeira sobre sua figura impoluta, o mais puro dos puros, puto com quase todos e tudo, coitadinho!

A Folha avisa que é cedo para se decretar o seu fim. O procurador Conserino convocou a depor sobre o sítio ele e a patroa, no Fórum de Barra Funda, mas Lula obteve no Conselho Nacional do Ministério Público, presidido por Rodrigo Janot, uma liminar traversa que os isentou de depor por hora. Isso mostra que Lula ainda não está liquidado, que ele ainda tem quem o ampare da sanha de seus perseguidores: juízes, procuradores, policiais federais, duros, racionais, apolíneos. Lula é dionisíaco!

A república lulopetista continua de pé e ainda colhe vitórias. Dilma elegeu Picciani líder do PMDB na Câmara, derrotou Hugo Motta, o líder de Eduardo Cunha. . . Dilma em Pernambuco foi professora por um dia e chamou o Aedes de mosquita. . . a mosquita da presidenta. 200 milhões de brasileiros não serão derrotados por u’a mosquita. . . Dilma critica o PSDB por fazer “acusação temerária” contra ela no TSE, querendo dizer que os tucanos misturam provas criminais com matéria eleitoral, quando se trata verdadeiramente de uma mistura que ela mesma fez.

Sérgio Moro ironiza João Santana: “dinheiro tem coração de coelho e pata de lebre”. . . A economia brasileira afunda (aqui, aqui, aqui, aqui e aqui). . . O Supremo dá uma nos corruptos ao aceitar a prisão de condenados já na segunda instância . . . e solta o Delcídio, que volta ao Senado para constrangimento dos colegas senadores que, embalados pelo choque de sua prisão em flagrante, votaram ainda em dezembro pela manutenção dele na cadeia.

Mas Delcídio agora está solto. Ele fez ou não fez acordo de delação. . . pra ser solto? Delcídio vai delatar ou não? Delcídio já delatou ou não? Tudo é confusão, é segredo de justiça, é vazamento, é escuta e gravação, é imagens abundantes isentas de verdade! Só rindo de tantas confusões do Supremo, da Dilma, do Lula, do PT, do PMDB, do PP, da democracia representativa carnavalizada do Brasil. Hahahah! . . Encontro nos meus papeis sobre a mesa uma folha solta com um texto sem data de Ivan Izquierdo, “Risos e sorrisos”, no qual ele argumenta que rir é bom, que os brasileiros riem muito e que os idiotas riem o tempo todo. . . Os muitos brasileiros somos idiotas?

 

Vladimir na Terceira Semana de Fevereiro

Os grandes da Grande Coalizão (Washington, Londres, Riyad e Ankara, menos Tel Aviv) perdem a cabeça, estão histéricos por causa da iminente derrota de seus rebeldes e jihadistas em Aleppo e não acham graça nenhuma em Vladimir.

Alexander Mercouris escreve: “The last ten days have been the moment when it has finally dawned upon the West that the Syrian army – backed by Iran and Russia – is close to winning a decisive victory in Syria. The Syrian army has expanded the government’s control of the countryside around Damascus. It has cleared Hama and Homs of the jihadi rebels who established themselves there in 2012.  It has broken the siege of Aleppo, reopening the roads that link Aleppo to the rest of the country.  It has also succeeded in largely clearing the rebels from Latakia province, site of Russia’s Khmeimim airbase.” Faltou dizer que exército sírio fechou o corredor de Azaz que ligava os rebeldes jihadistas à Turquia. . .

Mercouris está correto, mas é preciso corrigi-lo num detalhe: não foi somente nos últimos dez dias que it dawned upon the West que o jogo na Síria está virando. Essa aurora dawned no Ocidente no início de outubro, assim que começou a intervenção direta da Rússia na guerra. Tanto isso é real que John Kerry, o chanceler do Império, recomeçou a negociar a paz já em novembro e dezembro. É significativo lembrar aqui que em 2012 o Império negociou a paz na Síria, mas a chanceler Hillary Clinton o fez com exigências impossíveis para al-Assad, bombardeando assim aquelas negociações promovidas por Ban Ki Moon. Agora não, agora o jogo virou e Kerry precisa da paz para congelar os ganhos de 2014 e 2015 de rebeldes e jihadistas.

Em todo caso, Vladimir Putin é homem surpreendente. Nem bem as negociações perseguidas por Kerry fracassaram e os russos lhe ofereceram um novo “plano concreto” de pacificação, que os americanos passaram a estudar com subido interesse. Isso foi no dia 10 de fevereiro. A proposta está causando confusão mesmo entre aliados e apoiadores: por que os russos a fizeram estando eles no limiar de uma vitória decisiva em Aleppo?