João da Silveira

A SEMANA

Janeiro 2021
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
18 19 20 21 22 23 24

 

CHINA : O ESTADO DA PRODUÇÃO E DO COMÉRCIO : Na segunda-feira : O PIB cresceu 2,3% em 2020, seu mais baixo crescimento desde 1976 (Orange Wang et al.). A forte retomada econômica no segundo semestre de 2020 indica que a China pode crescer até mais do que vinha crescendo antes da pandemia… Thales Guaracy escreve sobre o que a China ensina ao Brasil. Seu artigo abre com o bordão USAmericano de que a China ameaça o mundo. Guaracy, ousado, recomenda aos mais esclarecidos que, apesar da ameaça, a China tem boas lições para o Brasil. E se o Brasil seguir mesmo as boas lições da China? O Brasil não vai também ameaçar o mundo? Liberte-se, Guaracy, dos bordões USAmericanos! A China não ameaça o mundo. A China só promove a produção e o comércio. E o comércio, como dizia Montesquieu, est doux. Quem ameaça o mundo é USAmérica com suas especulações, sanções e bombas!… Na quinta-feira : Porque as ações chinesas devem superar o mercado especular USAmericano (Goldman e Parpart)….

 

USAMÉRICA : O ESTADO DA GUERRA : Na segunda-feira : Como as políticas neoliberais de Biden alimentam o surgimento de um Trump mais esperto e mais estável (Glenn Greenwald) e, na terça-feira, uma nova guerra doméstica ao terror está chegando… O espírito do tempo quer o que o espírito do tempo quer (J. Howard Kunstler)….  Na quarta-feira : Até onde sei, O Saker não é seguidor de Trump, mas escreve da parte dos perdedores na eleição USAmericana. Os adversários triunfaram, sim, mas O Saker não acredita que seja para valer, que seja de verdade, pois eles estão fora da realidade do mundo, eles se iludem, delirantes. Ele divide o mundo em duas zonas: Zona A e Zona B. Zona A é a do que ele chama de Anglo-Zionist Empire, dela fazendo parte a Inglaterra, Estados Unidos e Israel, Austrália, Canadá, Nova Zelândia. O Império Anglo-Zionista está no fim, sem saída concreta, sem esperança, só delírios. Já a Zona B é composta pelo resto do mundo, é a realidade do mundo, onde estão as esperanças….    Na quinta-feira : O futuro das guerras no Estado da Guerra (Danny Sjursen)….    No sábado :  Michael Hudson, “Changes in Superimperialism”. (Video).  “The Position of the USA and China in our Global Economic System Nearly 50 years after the original publication of “Superimperialism”, Michael Hudson revisits how the lucrative dollar-based economic system that the US set up after WWII has evolved with the rise of China and the Covid-19 pandemic. What financial weapons is the US likely to use, and does China’s de-dollarisation protect it from such attacks? The book provides a detailed analysis of how the US has used its economic might to control international relations. The book is complicated, but essentially documents how after WWII the US held an unprecedented amount of the world’s gold reserves (50%). These reserves were depleted with the incursion into Korea, and subsequent involvement in Viet Nam, requiring the US to abandon the “gold standard” for valuing world currencies. A failure that proved itself valuable, pushing the US to develop multiple strategies that today allow it to make other countries pay for its military dominance. Michael Hudson is Professor of Economics at the University of Missouri-Kansas, former balance of payment economist at Chase Manhattan, political consultant, and has written on many topics relating to the history of debt and the international financial system”….

 

BRASIL : GOVERNO COMPLACENTE : Na segunda-feira : Num evento político já visando a eleição presidencial de 2022, o ministro da Saúde Eduardo Pazzuelo deu início à distribuição da CoronaVac, com a presença de 10 governadores. O evento foi em Guarulhos, nas barbas do governador João Dória, para que ele visse o porrete do presidente… Na quarta-feira, a newsletter da Folha mostrou como vai sua campanha pelo impeachment do presidente: A morte de pacientes por falta de oxigênio em Manaus e os fracassos em série do planejamento federal para aquisição e distribuição de vacinas contra a Covid-19 deram mais solidez ao embasamento jurídico passível de ser usado para abertura de um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro… Na quinta-feira a newsletter veio com mais isso: A análise das regras da Constituição e da Lei dos Crimes de Responsabilidade (1.079/50), os dois mecanismos jurídicos cabíveis, mostra a possibilidade de enquadramento de vários atos e omissões de Bolsonaro e do governo no enfrentamento da doença que já causou a morte de mais de 210 mil pessoas no país. A Folha compilou ao menos 23 situações em que Bolsonaro, em seus dois anos de governo até aqui, promoveu atitudes que podem ser enquadradas como crime de responsabilidade, e que vão da publicação de um vídeo pornográfico em suas redes sociais no Carnaval de 2019 aos reiterados apoios a manifestações de cunho antidemocrático… Já a tese de que o governo federal adotou “uma estratégia institucional de propagação do vírus, …sob a liderança do presidente da República” é certamente um exagero dos impichistas linha dura. Bolsonaro é mesmo toupeira. Seu governo é toupeira. O que falta nele e no seu governo é inteligência, mesma coisa que faltou em Trump e no governo Trump. Daí a dizer que houve “estratégia institucional de propagação do vírus” é argumento de má fé…  Enquanto isso, gritava-se na Carta Capital que o “impeachment de Bolsonaro é questão de vida ou morte“. Daniel Dourado certamente não sabe da visão rabelaisiana de que a vida é morte e a morte é vida… Ao mesmo tempo, governadores e a base de Bolsonaro cobraram mudanças na relação de seu governo com a China (Guilherme Waltenberg e Brenno Grillo). Eu, se fosse Bolsonaro, mudava. Começava por agradecer e dispensar os serviços do chanceler Ernesto Araújo. Bolsonaro que é Bolsonaro fez foi negacear dizendo que “impasse com China e Índia é ‘burocrático’ não é ‘político’“. Bolsonaro é mesmo toupeira… No sábado, a oposição fez atos e carreatas pelo impeachment em 45 cidades, pelo menos 21 capitais entre elas. A coisa está esquentando….

,