Caro Senador,

Elio Gaspari escreve, hoje, que a “Lava Jato criou o primeiro embate do Estado brasileiro com a oligarquia política, financeira e econômica que controla o país. Essa oligarquia onipotente vive à custa de ‘acordões’ e acreditava que gatos gordos não iam para a cadeia. Foram, mas Marcelo Odebrecht não iria. Foi, mas os políticos seriam poupados e a coisa nunca chegaria aos bancos. Numa mesma manhã foram encarcerados o líder do governo no Senado e o dono do oitavo maior banco do país. Desde o início da Lava Jato a oligarquia planeja, combina e quando dá tudo errado ela diz que a vaca vai para o brejo.”

Sendo assim, podemos dizer que se Delcídio caiu, Cunha deverá cair, Renan e Dilma podem cair…

Só não podemos esquecer que as oligarquias são eternas, que existem oligarcas e oligarcas. Os que estão a cair são os que chamamos abusados ou homens cordiais; são os que transgridem rotineiramente a diferença entre o público e o privado. Os oligarcas que sabem acatar o limite entre o público e o privado, esses jamais cairão e são admirados entre os povos!

Abr.,

João.