Diogo Mainardi

 

Eu, Diogo, publiquei dezenas de colunas sobre Lulinha. Ele, Mario, publicou dezenas de reportagens sobre Lulinha. Hoje é nosso dia. Para comemorar, reciclei algumas de minhas velhas colunas sobre o tema, de 2005 a 2008

 

Lula desconhece o que é certo ou errado 

“Eu acredito no presidente Lula”. É o nome de uma comunidade no Orkut. Luís Cláudio, um dos filhos de Lula, é membro dessa comunidade. Ele é membro também da comunidade “Sou orelhudo porém feliz”. Lula tem cinco filhos. Luís Cláudio é o caçula. Não foi Luís Cláudio quem abocanhou 625.000 reais da Telemar. Não. Foi outro filho de Lula, chamado Fábio Luís. Luís Cláudio é recordado apenas por ter viajado com um bando de amigos ao Palácio da Alvorada, com tudo pago, num avião da FAB. Não surpreende que a namorada de Luís Cláudio, Talita, pertença à comunidade “Eu amo viajar com meu namorado”. Luís Cláudio deve ter feito alguma bobagem recentemente. Talita deixou o seguinte recado no caderno de anotações dele no Orkut: “Oh, num eh q ti dexando isso aki que dize q eu eskeci o q vc fez viu… to brava ainda!!”. 

Marcos Cláudio é o filho mais velho de Lula. No Orkut, ele participa da comunidade “Viva Lula”. Além disso, é o fundador da comunidade dos “adoradores do Shopping Metrópole de São Bernardo do Campo”. Marcos Cláudio era do departamento de marketing do Sindicato dos Metalúrgicos. Sua mulher, Carla Ariane, que pertence à comunidade orkutiana “Orgulho de ser PT”, tinha um cargo comissionado na prefeitura petista de Mauá, que está sendo acusada de desvio de dinheiro. Foi justamente pelo departamento de marketing das estatais e pelos cargos comissionados na administração pública que passou grande parte da roubalheira petista. O casal Marcos Cláudio e Carla Ariane representa uma espécie de síntese do petismo. 

Outro filho de Lula, Sandro Luís, recebia um salário de 1.522 reais do PT para não comparecer ao emprego. É aproximadamente o mesmo salário que Delúbio Soares recebia para não comparecer ao emprego como professor em Goiás. Sandro Luís usa nomes de fantasia no Orkut. Seu irmão Fábio Luís, o da Telemar, também prefere o anonimato. Sua empresa, através de um funcionário, acaba de abrir uma comunidade no Orkut: a “GameTv”. Na última quinta-feira, a “GameTv” já podia contar com 97 membros. Estavam todos lá: Luís Cláudio, Talita, Marcos Cláudio, Carla Ariane. O tema predominante da comunidade era o grupo de rock Iron Maiden. Não havia um único comentário sobre o caso de favorecimento político à empresa de Fábio Luís. Lula declarou que não se mete nos negócios do filho. Ele teria a obrigação de se meter, já que os negócios do filho envolvem dinheiro público. Primeiro: Lula deveria mandar desfazer a sociedade entre Fábio Luís e a Telemar. Segundo: Jacó Bittar deveria ser afastado do cargo de conselheiro da Petros. Jacó Bittar é pai de dois sócios de Fábio Luís. A Petros é sócia da Telemar. Na prática, Jacó Bittar comprou com dinheiro público a empresa dos filhos – e do filho do presidente. 

Lula qualificou as reportagens sobre seus filhos como um “golpe baixo”, uma “baixaria”. Muita gente ainda se pergunta se Lula sabia ou não da corrupção no governo. Na verdade, a questão é mais grave: Lula simplesmente desconhece o que é certo e errado. Eu não acredito no presidente Lula.

Teodoro e Teodorino

Lula e Lulinha são como Teodoro e Teodorino. Teodoro Obiang Nguema Mbasogo, conhecido como ‘O Chefe’, é o ditador da Guiné Equatorial. Está no poder desde 1979. Teodorino é seu filho. Tem um canal de TV. Internetei para cima e para baixo e, no mundo inteiro, só consegui encontrar esses dois casos de presidentes em exercício cujos filhos controlam canais de TV: Lula e Lulinha, Teodoro e Teodorino.

O canal de Teodorino é o RTV Asonga. O de Lulinha é o Play TV, antigo Canal 21, arrendado à Gamecorp pela Rede Bandeirantes. O contrato de arrendamento entre as duas empresas vale por dez anos. Inicialmente, a Gamecorp transmitirá seus programas por seis horas diárias, mas a idéia é se estender pelo dia todo. O sócio esperto de Lulinha, Fernando Bittar, é quem realmente manda na emissora. Lulinha é encarregado apenas de emprestar seu nome e embolsar os lucros.

Por mais de trinta anos, Lula e seus parceiros denunciaram o chamado coronelismo eletrônico, o sistema de favorecimento que garantiu a concessão de canais de TV, em nome próprio ou de parentes, a hierarcas nordestinos como José Sarney, Fernando Collor de Mello, ACM, Jader Barbalho, Garibaldi Alves, Albano Franco, Tasso Jereissati. Agora que Lulinha tomou posse de um canal de TV, ninguém parece se preocupar com isso, em particular os pelegos lulistas que controlam os sindicatos de jornalistas. Eu sempre desconfiei que o real desejo de Lula fosse virar um José Sarney. Pronto: virou. Lula e Lulinha são como Sarney e Sarneyzinho.

Olhe só que farra

– Uma afilhada de José Sarney está para ser indicada por Lula à Anatel.

– A Anatel está mudando a lei para beneficiar a Oi, que comprou a empresa do filho de Lula.

– Um dos donos da Oi, Carlos Jereissati, é sócio no shopping-center Praia de Belas, em Porto Alegre, de Jorge Murad, o genro de José Sarney.

Se tudo der certo, a árvore genealógica do lulo-sarneyzismo vai ficar assim: Lula nomeia a afilhada de José Sarney, ela muda a lei para favorecer o sócio do marido da filha de José Sarney, cuja empresa bancou o filho de Lula, que assina a lei.

Eu disse certa vez que o desejo de Lula era se transformar num José Sarney. Na verdade, ele foi muito mais longe do que isso: transformou-se num parente. Um parente político e empresarial.

Os herdeiros das antigas dinastias européias se uniam em casamento. Os herdeiros das atuais dinastias políticas brasileiras se unem em empresas cotadas na bolsa de Nova York. De um lado, o rei de Garanhuns. Do outro, o rei do Amapá. No meio dos dois, o ducado tucano do Ceará.

De uns tempos para cá, sempre que eu denuncio alguma estranheza, os leitores reagem repetindo o mesmo mantra:

“Isso não vai dar em nada”.

Qual será o resultado prático dessa denúncia? Nenhum.

A afilhada de José Sarney será aprovada pelo Senado. A Anatel mudará a lei para permitir a venda da Brasil Telecom à Oi. O BNDES financiará o negócio. Carlos Jereissati controlará a companhia tendo menos de 3% de seu capital. Daniel Dantas aumentará seu rebanho de gado no Pará.

Mas é assim que funciona a imprensa.

Quem tem o papel de julgar os políticos é a magistratura. E quem tem o papel de mudá-los é o eleitor. A imprensa pode somente noticiar e comentar os fatos. 

É pouco? Claro que é pouco. É melhor gastar seu tempo comigo ou com Tolstói? Claro que é melhor gastá-lo com Tolstói.

A escolha para o jornalista diante de uma notícia é muito simples: consiste em publicá-la ou sonegá-la. Publicá-la nunca dá em nada. Sonegá-la sempre dá em algo ainda pior.

Só para arrematar:

1 – Carlos Jereissati, que comprou a Gamecorp junto com a Andrade Gutierrez, processou-me seis vezes. Hoje não é seu dia.

2 – Em 2013, Lula foi à Guiné Equatorial num jato particular fretado pela Odebrecht. Foi tratar das obras do aeroporto Mongomeyen, depois de ter negociado o contrato diretamente com o ditador Teodoro Obiang.

3 – É melhor gastar seu tempo com Tolstói.

 

Ver o original