Mês: abril 2016

PPP and GDP

Russia Still World’s Sixth Largest Economy   Counting by real economic output, Russia has retained its position as one of the world’s largest economies   Jon Hellevig Apr. 14, 2016   Fresh data from the IMF (International Monetary Fund) shows that Russia has retained its place among the World’s largest economies. In the 2015 ranking, it is now slightly behind Germany just as in the previous year. China has drawn further ahead from the USA solidifying its lead as the world’s number one economy with 19.5 trillion (in dollar terms). The USA is behind with as much as 1.5 trillion, the size of the economy of Canada. India is of the large economies the one that grew the most and reached the size of 8 trillion last year. After India comes Japan with 4.8tn, then Germany, 3.8tn, and Russia 3.5tn. (Traditionally, the World Bank data awards Russia a significantly higher GDP than what the IMF figures does, but the World Bank data for 2015 is not out yet).   Notwithstanding the above, somebody might want to lead you astray and claim that Russia’s economy is only the 13th biggest at a size of 1.2 trillion. Here’s the catch, the first set of figures is based on the purchasing power parity (PPP) whereas the second awarding Russia’s economy the far lesser size is based on a calculation by the nominal current...

Ler mais

While US talks terrorism at nuke summit in DC, Russia fights terrorism in Syria

  John Wight 2 Apr, 2016 Obama’s nuclear summit in Washington has been overshadowed by the absence of Russia. It is an absence that stands as an indictment of the lack of harmony and cooperation that continues to exist despite the growth of international terrorism. The threat to nuclear security posed by global terrorism is one of the most dangerous the world has ever faced. The potential consequences of radical extremists getting their hands on a nuclear device, or being able to manufacture their own – i.e. a dirty bomb – are catastrophic. With this in mind, and given the proliferation of terrorism and the need to defeat it, never has it been more important for the world’s major powers to work in close cooperation and harmony to meet a threat that is no respecter of borders or cultures, as the mounting series of atrocities we have witnessed attests. Yet still there remains a staggering lack of will on the part of the US Government to treat the threat with the seriousness it demands. The two-day summit in Washington, bringing together about 50 heads of state, is the fourth nuclear summit hosted by Obama. They are the brainchild of his administration and as such completely arbitrary and shorn of international legitimacy, undermining in the process the role and status of the International Atomic Energy Agency (IAEA), the UN’s official...

Ler mais

Uma presidente fora de si

Bastidores do Planalto nos últimos dias mostram que a iminência do afastamento fez com que Dilma perdesse o equilíbrio e as condições emocionais para conduzir o país Sérgio Pardellas e Débora Bergamasco 02/04/2016   Os últimos dias no Planalto têm sido marcados por momentos de extrema tensão e absoluta desordem com uma presidente da República dominada por sucessivas explosões nervosas, quando, além de destempero, exibe total desconexão com a realidade do País. Não bastassem as crises moral, política e econômica, Dilma Rousseff perdeu também as condições emocionais para conduzir o governo. Assessores palacianos, mesmo os já acostumados com a descompostura presidencial, andam aturdidos com o seu comportamento às vésperas da votação do impeachment pelo Congresso. Segundo relatos, a mandatária está irascível, fora de si e mais agressiva do que nunca. Lembra o Lula dos grampos em seus impropérios. Na última semana, a presidente mandou eliminar jornais e revistas do seu gabinete. Agora, contenta-se com o clipping resumido por um de seus subordinados. Mesmo assim, dispara palavrões aos borbotões a cada nova e frequente má notícia recebida. Por isso, os mais próximos da presidente têm evitado tecer comentários sobre a evolução do processo de impeachment. Nem com Lula as conversas têm sido amenas. Num de seus acessos recentes, Dilma reclamou dos que classificou de “traidores” e prometeu “vingança”. Numa conversa com um assessor, na semana passada, a presidente investiu pesado...

Ler mais

Passai, radicais do pouco!

Reinaldo Azevedo 01/04/2016 Adoraria estar a travar outro debate com o PT, distante de uma delegacia de polícia. Sou crítico da turma há muito tempo. Criei o termo “petralha” quando a legenda estava no poder em Santo André, antes ainda de Celso Daniel ser assassinado   Mas nem eu imaginava que os “companheiros” pudessem chegar tão longe na profissionalização do assalto aos cofres públicos. Eu preferiria estar aqui a debater com petistas, por exemplo, se precisamos mesmo de uma Petrobras majoritariamente estatal. Na minha fantasia, a empresa não é um valhacouto. Ao contrário. É exemplarmente administrada por burocratas imbuídos da missão de demonstrar a superioridade gerencial do Estado e de provar quão falaciosa é a ideia de que é o lucro que conduz à excelência técnica. Essa Petrobras poderia melhorar o meu combate porque me obrigaria a enfrentar argumentos difíceis. Em vez disso, tenho de me haver com vagabundos, desclassificados e chicaneiros. O maior mal que o PT faz a seus adversários é lhes fornecer motivos de rejeição tão tristemente mundanos. O petismo nos impede de debater economia política e nos remete para a briga de rua. O partido empobrece a retórica. Não me refiro àqueles discursos pastosos dos que falam para esconder o que pensam. Trato aqui da retórica virtuosa, que pode alcançar um lugar inédito do pensamento à medida que é obrigada a se desenvolver para enfrentar...

Ler mais

Dilma (Michel) & Vladimir

João da Silveira 01/04/2016 Dilma (Michel) na Quinta Semana de Março Eros Grau, ex-ministro do Supremo, diz que o PT está colocando em risco a paz social. Sidney Sanches, ex-presidente do Supremo que presidiu o Senado no impeachment de Collor, diz ao Valor que o afastamento de Dilma “tem fundamento jurídico”. No início de março o PMDB estava dividido; na semana passada, 80% estava com Temer; nesta terça-feira, esperava-se que Temer tivesse 100%, mas a decisão de sair do governo acabou sendo tomada por aclamação depois de um breve discurso de Romero Jucá. Então não temos como saber se Temer tem 100% do partido. O mais provável é que não tem. O momento é grave. Temer cancela viagem que faria a Portugal. . . Temer remete em vídeo sua palestra a Gilmar Mendes, um dos patrocinadores do evento em Lisboa. Nessa palestra, Temer defende a tese de que as constituições de Portugal e do Brasil promovem a paz social. . . Essa palestra é importante neste momento porque nela se pode vislumbrar o gênio do governo Temer, governo que se aproxima. Sobre a Constituição brasileira, ele, que foi deputado constituinte, disse que “tivemos a sabedoria de amalgamar princípios liberais e direitos sociais”. Ele exemplifica com o Art. 5º, onde “Prestigiamos a iniciativa privada…” e “Descartamos a centralização do poder e o autoritarismo…” Temer apresenta uma tese ousada porque verdadeira:...

Ler mais